Terça, 15 Março 2016 16:51

Como surgiram os apps

O mundo dos apps

Já pensou como é, realmente, extraordinária essa história da humanidade! Uma história que perpassa pela oralidade, manuscritos, imprensa e informática. Cada época traz suas maravilhosas revoluções. Mas vamos nos ater a sociedade da informação ou será sociedade do conhecimento? Já afirmado por estudiosos da área que o século XXI é o século do Conhecimento. Mas que parte de conhecimento é esse que encontra-se na palma da sua mão? Já se deu conta do poder dos Aplicativos existentes no seu smartphone? Então vamos entender!

 

Se pararmos para pensar um pouco sobre a evolução da tecnologia da informação, como surgiu e evoluiu, a conclusão é, para muitos, assustadora. De um imenso computador que pesava toneladas à smartphones, os quais podem nos auxiliar a fazer praticamente tudo em nosso dia a dia.

Há aproximadamente 69 anos surgia o primeiro computador, o ENIAC. Ocupava um andar inteiro de um prédio. Imagina como manusear e processar informações nesse “monstro” da informática? Bom, à época, era uma inovação estupenda no ramo das comunicações. Esse tipo de computador, mainframes, foi sendo aperfeiçoado e, aproximadamente, em 1965 surgia um dos primeiros computadores pessoais. Dez anos depois surgiram iniciativas da Intel, Microsoft, IBM e, ainda, Apple Inc, o avanço exponencial dos computadores pessoais e de sistemas operacionais, do MS-DOC para Windows, Linux, OS X; avanços de processadores, expansão de memórias etc. Ainda no século XX, surgem as redes sociais, tais como: Facebook, Twitter, Orkut e MySpace. Com certeza, você concorda que o Orkut e o Facebook são pioneiros para as mudanças sociais ocorridas desde então. É evidente como as tecnologias da informação em consonância com a Internet modificaram a forma como as pessoas se comunicam. Não se trata apenas de gerar informações, mas sim de construir conhecimentos.

Os telefones celulares por sua vez entraram no mercado por volta de 1970 no Japão e Suécia. Nos EUA, por volta da década de 80. Os smartphones ou telefones inteligentes entraram no mercado em 2007 pela Apple (iPhone) e em 2008 pelo Google (Android). Esses telefones inteligentes foram sendo aperfeiçoados e outras empresas também lançaram suas novidades no mercado. O grande impacto nessa evolução foi que os smartphones não eram simples aparelhos celulares. Em 1980 poderíamos afirmar isto, hoje, não!

 

Vivemos no mundo dos App`s. Mas o que são?

Do Inglês, Applications, os Apps surgiram pela necessidade de se criar aplicações ou softwares para os smartphones. Esses celulares inteligentes além de conseguir conectar pessoas através de sua função primária, que é realizar uma ligação, conseguem conectar várias pessoas através dos inúmeros Apps disponíveis no mercado. Além disso, o usuário consegue realizar tarefas as quais antes precisava se deslocar para tal.

Atualmente, há App para quase tudo que possa imaginar. Você consegue realizar transações bancárias, ler os jornais preferidos, acompanhar a Bolsa de Valores, publicar fotos e status em Facebook, Instagram de forma imediata, ler e responder emails, jogar etc. Consegue escrever em blocos de notas e/ou falar em App próprio e depois enviar o arquivo por email, whatsapp.

O Whatsapp é uma ferramenta estrategicamente utilizada, hoje, até como ferramenta de trabalho. Deixou de ser, e muito rapidamente, um App para conversas entre amigos e familiares.

Para você que não conhece muito dos App`s, vamos apresentar algumas categorias.

  • Cuidados Médicos
  • Bancários
  • Livros
  • Musica
  • Video
  • Saúde e Fitness
  • Viagem
  • Compras
  • Utilidades
  • Notícias e revistas
  • Jogos

Concordamos que vivemos no mundo dos App`s?

O dinamismo de transmissão de informação é extraordinário e como cita Castells (2003) “A história da criação e do desenvolvimento da Internet é a história de uma aventura humana extraordinária”. Concordamos com o autor quando faz tal afirmação. Logicamente, só através da world wide web conseguiu-se ter esse avanço inigualável.

Porém é importante estar atento sobre a memória humana que foi substituída pela memória dos eletrônicos. Poucas pessoas guardam seus compromissos ou números de telefones em suas memórias. Há aplicativos que substituem agendas de compromisso, agendas de telefones entre tantos outros.

A Internet derrubou muros, a geografia mudou. E como vivemos hoje nesta imensidão de informações e tantos aplicativos como auxilio?

Em um dia normal, o usuário de um smartphone, sai de casa, com conhecimento de como estão as rodovias por onde passará e para isto não precisou ligar a TV. As redes sociais e aplicativos voltados para o trânsito e transporte público conseguem atendê-lo.

Em qualquer momento do dia o usuário consegue verificar saldo bancário, pagar alguma conta, conversar com amigos que podem estar no Brasil ou no exterior. Sendo assim pode-se dizer que é possível obter informações em nossas mãos, literalmente.

Vivemos em uma mega rede de informações que circulam pelas diversas vias e formatos. É notável essa evolução humana, mas tomemos cuidado com a segurança de nossas informações. Imprescindível saber utilizar para o Bem tanta tecnologia.

Tudo é dinâmico, há necessidade de agilidade e informações certas na hora certa. O sucesso do negocio depende desta agilidade e assertividade. Para tanto é preciso aperfeiçoamento constante e acompanhamento nas mudanças e tendências tecnológicas.

 

 

Fonte: Carla Maria Lima - Bibliotecária

 

 

Publicado em Aplicativos
Terça, 15 Março 2016 16:49

Site responsivo ou site mobile?

É muito comum empresas solicitarem o desenvolvimento de um aplicativo para celular quando na verdade precisam de um site responsivo, ou vice versa. Apesar de terem a mesma finalidade, há uma diferença técnica significativa.

 

O que é um site responsivo?

É um site que tem o layout preparado para se adaptar ao formato de um tablet ou smartphone. Quando o visitante visualiza o site no computador, o formato se expande e aproveita toda a tela. No celular, as informações mudam de posição, mas preserva o tamanho das informações.

É comum os empresários acharem que, se seu site roda no celular, ele é responsivo. Todo site funciona no smartphone, porque se trata de um browser igual ao do computador. No entanto, quando ele não é responsivo, o visitante é obrigado a usar a famosa “mão de aranha”, abrindo e fechando para conseguir navegar e visualizar as informações.

A experiência do visitante é ruim e há uma tendência dele desistir de navegar no site. Dessa maneira, o objetivo final de gerar conversão (contato ou venda) dificilmente é atingido.

 

Como saber se um site é responsivo? 

Há duas formas de identificar um site responsivo: reduza o navegador na horizontal ou abra o site em um smartphone. O layout deve se adaptar automaticamente ao novo formato, sem a necessidade de rolar o site para o lado para visualizar todas as informações.

Exemplo do site responsivo, visualizado em navegador encolhido na horizontal:

site responsivo

Exemplo do site responsivo no smartphone:

site responsivo no smartphone

Site Responsivo X Site Mobile (web app)

Um site mobile, também chamado de web app, usa a mesma tecnologia de um site responsivo, mas tem um formato diferente do convencional. Normalmente, é mais utilizado para apresentar informações em formato de lista, para facilitar a navegação.

Ter um site para computador e um site mobile implica em dois layouts e dois desenvolvimentos distintos. Grandes empresas de e-commerce costumam ter um site convencional (“não responsivo”) e um site mobile, para garantir a melhor navegação possível. É o caso de e-commerces como Walmart, Americanas e Submarino.

Essa técnica permite ir ainda mais longe na usabilidade para dispositivos móveis. Em contrapartida, gera um custo duplicado.

Exemplo de site não responsivo. Para dispositivos móveis há um site mobile

Exemplo de site não responsivo

 Exemplo de um site mobile (web app)

Quando o servidor das Lojas Americanas reconhece que o dispositivo que está acessando é um smartphone, ele envia então para  a versão mobile. Se fosse um site responsivo seria a mesma versão desktop, só que com técnicas para que o  layout se ajuste no próprio browser.

site mobile (web app)

Site mobile (web app) x Aplicativo para Celular (app)

A diferença entre um web app e um app é grande. Tecnicamente, é 100% diferente.

Um aplicativo para celular é um software, que precisa ser instalado no smartphone e roda diretamente no sistema operacional. Já o site mobile roda em um browser, afinal, ele é um website com um formato diferenciado.

Um aplicativo mobile (app) pode atingir um desempenho muito melhor e tem capacidade para utilizar os recursos do dispositivo. A experiência do usuário é muito superior.

Grandes empresas costumam ter as duas soluções, pois há usuários resistentes a baixar um aplicativo. Nesse caso, o web app roda diretamente no navegador e não exige a instalação. Para o visitante faz sentido instalar (baixar) um app quando ele vai utilizá-lo com frequência. Quando é para usar uma única vez. Para consultar um produto esporadicamente, por exemplo, é mais cômodo usar o site mobile.

Por se tratar de um software, um app precisa lidar com as diferenças entre sistemas operacionais. É uma tecnologia mais recente e tem menos mão de obra disponível. Esse conjunto de fatores torna um projeto de aplicativo cerca de 3 vezes maior o valor, em relação à um webapp.

Se tratando de um negócio com volume de informações e pensando em um grande mercado, não há como fugir do APP.  A taxa de conversão (vendas), devido à usabilidade e performance, é maior. Além disso, para alguns projetos, que demandam alguns requisitos, somente um app terá condições de atender.

O que a sua empresa precisa: site ou aplicativo? Clique aqui e descubra. 

Exemplo de um aplicativo para celular (app)

aplicativo para celular

 

Qual deve ser o caminho do meu projeto? Site responsivo, site mobile (web app) ou aplicativo para celular (app)?

As informações desse artigo visam dar condições de ajudar nesta resposta. Cada projeto tem um orçamento e requisitos diferentes, por isso não há uma resposta direta.  

 

 

 

Fonte: Esauce

 

 

 

Publicado em Aplicativos

Quer ter um site otimizado investindo pouco?